Diário de um Viajante – Parte V

Diário de um Viajante – Parte V

Feliz Ano Novo! Pois é, Feliz Ano Novo Tailandês! Aqui é conhecido como Songkran…Foi inesquecível ter participado das comemorações e ver como os tailandeses são sinceramente felizes e espontâneos. Como o Ano Novo Chinês, os tailandeses celebram o Ano do Cavalo, que significa um ano de muitas conquistas, maior velocidade dos acontecimentos… Este ano está sendo emocionante para mim e, acredito que para você também, então de certa forma estamos vivendo o Ano da Colheita, ano da transformação de várias coisas em nossas vidas. Transformações que vão acontecer no momento que devem acontecer, independente se você estiver preparado ou não, afinal a mudança é fundamental na busca constante em sua vida para sair da zona de conforto, em dar o primeiro passo… Pensando sobre isso, eu comecei a refletir sobre a minha própria vida, que caminho estou tomando afinal eu vim para a Ásia na procura de novos aprendizados e novas pessoas, que pudessem aumentar minhas experiências e minha espiritualidade, que não tem a ver com religião, mas a maneira que você está vivendo e entendendo sua evolução como ser humano. Chegando no Hostel, que é um pequeno hotel que conta com várias pessoas de vários países diferentes (que está me oferecendo uma ótima oportunidade para conhecer amigos…), conheci vários tailandeses inclusive uma amiga que me revelou várias coisas… Devo te dizer que no começo foi estranho, porque ela começou a revelar várias coisas sobre a minha vida pessoal, ela foi me contando sobre o que estava acontecendo em minha vida e como eu poderia ser uma pessoa mais próspera agindo de uma outra maneira. Mudei muita coisa por...
Diário de um Viajante – Parte IV

Diário de um Viajante – Parte IV

Bangkok é uma cidade com muita história…Por causa disso, resolvi procurar por destinos dentro da cidade que pudessem ser bastante visitados por turistas e que representassem a cultura tailandesa. Escolhi um roteiro que englobava a visita a alguns templos usando uma típica balsa que é muito usada por aqui por ser pequena e veloz… Visitei inúmeros templos e parei em casas de pessoas que moram às margens do rio que serve como meio se transporte para os moradores dessa grande cidade de mais de 22 milhões de habitantes… Aqui o novo contrasta com o antigo. Percebi também que independente da sua classe social, existe muito respeito à sua religião e harmonia entre as diferenças, sejam elas de qualquer origem. Comemos um pouco da comida thai no almoço, alem de saborear típicas frutas que só existem aqui, quem poderia imaginar um quase kiwi de cor branca? Fascinante! Uma das últimas paradas foi o Grand Palace junto com o Templo da Esmeralda… Sem palavras! Foi uma experiência única e inspiradora. Descobri que a Tailândia é uma cultura rica por causa da sua diversidade cultural e equilíbrio espiritual, que se faz presente através do que eu vi: – Templos com influência do hinduísmo indiano – Construções com origem no budismo chinês – Esculturas tailandesas que representam a simplicidade e remetem sempre à procura do equilíbrio Achei tudo extraordinário! Tão extraordinário que pensei em um quebra-cabeca, afinal é como se várias peças tivessem sido colocadas juntas e se unissem para formar este país tão multicultural…Gravei um vídeo e quero te convidar a assistí-lo abaixo… Após a visita, deixei o palácio e fui para...
Diário de um Viajante – Parte III

Diário de um Viajante – Parte III

Bangkok! Até que enfim! Depois de quase 40 horas de vôos, atrasos e escalas, pisei em terras tailandesas pela primeira vez…Experiência incrível! O aeroporto é muito moderno e muito grande, impressiona pela dimensão e pela capacidade que ele transparece aos visitantes. Após passar pela imigração (que foi super tranquila…), peguei um táxi rumo ao centro da cidade, eram 2 da manhã quando cheguei. Estava bem cansado e fiz o check in no Hostel que tinha reservado…Super engraçado ver o pessoal da recepção, afinal todos foram muito receptivos e, mesmo que não falassem tão bem o inglês, se esforçaram muito para ajudar em tudo que foi possível ajudar. Descansei por algumas horas, tomei um café caprichado e bem cedo, sai para conhecer um pouco da cidade…O centro de Bangkok lembra muito o centro das grandes cidades só que com muitas diferenças evidentes: – Prédios com arquitetura thai, que mistura estilos tailandês, chinês e indiano – Trânsito com a mão inversa, como se não bastasse a mão dos carros também é inversa então imagine dirigir no banco do passageiro no Brasil que nem na Inglaterra…Imaginou? – Multiculturalidade de pessoas andando, como europeus, tailandeses, indianos, chineses…Extraordinário! Depois de andar por alguns blocos de prédios misturados ao longo das calçadas com vendedores que trabalham ao lado de lojas nacionais e internacionais em harmonia, resolvi almoçar. Escolhi um restaurante em uma avenida importante aqui de Bangkok chamada Silom Road. O restaurante oferecia um menu ótimo, atendimento amigável e um espaço bem acolhedor. Escolhi um prato típico thai com arroz e frango acompanhado com um suco de manga…Suco delicioso! Tão bom que pedi uma jarra...
Diário de um Viajante – Parte II

Diário de um Viajante – Parte II

Comecei minha viagem indo de São Paulo a Nova York e contei em detalhes na primeira parte desta série de posts que criei para contar a história desta viagem que representa uma verdadeira conquista em minha vida…Se você ainda não leu, clique aqui para acessar. Foram mais de 10 horas para ir de Nova York ate Tóquio…Valeu cada segundo dentro do Boeing 747 no qual voamos. No vôo, tivemos a possibilidade de comer muito, foram três refeições haha Foi engraçado porque nunca tinha viajado tanto comendo tanto rs Fiz amizade com a aeromoça que, a priori, parecia que falava japonês pelos seus traços orientais… Tem muita gente que confunde japonês com chinês, ou coreano com filipino, não é verdade? As diferenças são bem evidentes, estudo bastante cada cultura para tomar cuidado e não cometer nenhum erro, mas a vida me supreendeu…Como sempre! Descobri que a comissária de bordo era chinesa mas morava na Califórnia e já tinha conhecido o Brasil, fiquei surpreso e usei esse ponto para estabelecer contato e conhecer mais sobre sua vida. Adoro conhecer novas pessoas e, conversando com ela percebi que ela compreendia muito bem a miscigenação brasileira, que garante tanto a mim como você que está lendo este post neste exato momento, uma mistura de culturas dentro de nós mesmos. Conversamos bastante e quando aterrissamos em Tóquio me despedi em mandarim, agradecendo o bate-papo e desejando um ótimo descanso, afinal para quem conhece pessoas que trabalham na aviação civil, sabe das rotinas malucas e dos horários de vôos noturnos que cansam bastante se você não estiver preparado. Chegando em Tóquio, realizei outro sonho: conhecer...
Diário de um Viajante – Parte I

Diário de um Viajante – Parte I

Estou agora neste exato momento escrevendo de um avião que está indo de Nova York para Tóquio… Estou realizando um sonho antigo, sonho que começou como uma meta a ser alcançada e agora, neste exato momento está em vias de se transformar em realidade: viajar para a Ásia. Estou sentado no fundo da nave…Abrindo a janela estou vendo o norte do Canadá, cheio de gelo lá embaixo, pequenos lagos que brilham e refletem a luz do Sol…Consigo ver como a beleza da natureza é grande e o quanto somos pequenos em relação àquilo que conhecemos. A temperatura é baixa lá fora, vejo as nuvens finas e o rastro que as turbinas estão fazendo no ar por causa do calor versus o frio do norte da Terra. Sentado aqui como meu iPhone decidi escrever esta mensagem afinal ainda é claro aqui e vi no meu relógio que já são quase 10 horas da noite no Brasil…Que incrível! Estava em Nova York há poucas horas atrás e perdi meu vôo, você acredita? Veja o vídeo que gravei de Nova York abaixo… Tive que me adaptar, usar a criatividade e tentar encaixar um novo horário para que conseguisse chegar em Tóquio há tempo… Inclusive como gosto de ser produtivo, conversando com outras pessoas lá no aeroporto fiz amizades e descobri muitas coisas positivas. Alegria, sucesso, historias de superação! Fiz amizade com os atendentes da Alfândega, com um barman dominicano e com um senhor bem humorado que fez o câmbio da nossa moeda… A vida é mesmo rica de oportunidades! A oportunidade que usei no tempo parado esperando para o próximo vôo, usei para...